Apartamento República

001002005007009010013015016017018019021022024028029030

By Do Mal o Menos

PT

Neste apartamento dos anos 60, em bom estado de conservação, com 250m2 e inserido numa das avenidas mais centrais da cidade de Lisboa, urgia a necessidade de desenhar um espaço social à escala da casa, repensando a organização e materialidade do habitar.

O acesso ao apartamento é redesenhado – o hall principal comunica directamente com o espaço social que, por sua vez, garante o acesso à zona íntima. Por seu lado, um hall secundário liga à zona de serviço, criando dois circuitos independentes.

A tardoz, a marquise outrora fechada, no projecto absorve novos programas – o lavabo social, a lavandaria e as instalações sanitárias dos quartos secundários.

Sente-se o “Branco” e a “Madeira quente” na casa.

O pavimento existente, em madeira de Afizélia ,“contamina” as restantes áreas da habitação na sua materialidade. Nesta lógica, no hall principal é desenhado um ripado de madeira que oculta os acessos à zona íntima, conferindo ritmo à intervenção. O mesmo jogo dá-se no acesso ao lavabo, junto à sala de jantar. Por sua vez, na sala de estar é desenhada uma estante contínua, que marca a zona social, vincando a personalidade deste espaço.

Na suite da habitação, é repensada a lógica de organização do espaço: a instalação sanitária do quarto é aberta para esta área intima, materializada em Mármore de Estremoz, separada da área de dormir por intermédio de uma antecâmara.

Por fim, a iluminação na casa é pensada de modo a esconder o tecto vigado, por meio de sancas de luz no tecto falso, com especial enfase na zona social.

 

EN

In this apartment from the 60s, with 250m2 and inserted in one of the most central avenues in the city of Lisbon, there was an urgent need to redefine the social space, rethinking the organization and materiality of the house.

The access to the apartment was redesigned – the main hall communicates directly with the social space, which guarantees access to the intimate area. In turn, a secondary hall connects to the service area, creating two independent circuits.

In the back façade new programs have been absorved – the social bathroom, laundry  and  toilets.

“White” and “Warm Wood” is the main concept of materiality.

The existing floor, in Afizélia wood, “contaminates” the other areas of the house. A wooden slats wall is designed in the main hall, hiding the access to the intimate area, ginving rythm to the intervention. This “game” is also played in the access to the social bathroom, next to the dining room. At the same time, a continuous bookcase is designed in the living room, which marks the social area, emphasizing the personality of this space.

In the suite, the organization of the space is rethought: the ensuite bathroom is opened to this intimate area, in Estremoz marble.

Finally, the ilumination project  is designed to hide the existing structure of the ceiling, creating  different heights, giving and hiding light, with special emphasis on the social area.